Professores de Crato decidem entrar em greve; demais servidores em estado grevista


Manifestação dos servidores no início deste mês de abril (Foto: Reprodução/Redes sociais )


Servidores da Educação de Crato decidiram entrar em estado de greve. As categorias de auxiliar de serviços gerais, auxiliar administrativo, merendeira e secretário escolar estiveram em assembleia convocada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSMCRATO) nessa sexta-feira (13). 

Eles pedem reajuste acima do salário mínimo, que é de 7,58%. Já os professores, em outra assembleia, decidiram entrar em greve visto que passaram pelo período de estado de greve.

Os profissionais do magistério rejeitaram a proposta de reajuste salarial, de forma parcelada, feita pelo prefeito Zé Ailton Brasil (PP) de 3% em maio, e 3,81% em primeiro de novembro. A categoria não aceitou e decidiu pela paralisação, eles pedem 6,81% e forma integral.

Denise Pinheiro, presidente do SINDSMCRATO, explicou que a greve foi deflagrada por conta do não atendimento das reivindicações das categorias. As progressões salariais e as condições de trabalho estão entre elas. “Sabemos que as escolas não dão com condições de trabalho para o professor” reclamou afirmando ainda que o índice de reajuste é abaixo da inflação.




Após o comunicado oficial, sobre o resultado da assembleia ao município, os professores devem cumprir o prazo legal de 72 horas e paralisar.

Denise declarou que a decisão da assembleia é soberana. Pinheiro informou que o sindicato comunicará à gestão e à comunidade escolar sobre a deflagração da greve. Ela lembrou ainda que a greve vai além das questões salariais, e sim sobre as condições de trabalho.



Por João Boaventura Neto
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.