Três crianças são queimadas após curto-circuito em Escola de Fortaleza


A Enel destacou que o equipamento não pertence à rede e que sua manutenção é de responsabilidade da Escola (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Três crianças, entre 6 e 7 anos, ficaram feridas em acidente ocorrido na instituição onde estudam, a Escola Municipal Infante Rosalina Rodrigues, localizada na Comunidade Rosalina, no bairro Parque Dois Irmãos, na tarde da última quinta-feira (24). Os três meninos saíam do turno da tarde, período em que estudam e teriam ido urinar próximo a uma caixa de energia. Um projetor explodiu e atingiu as crianças, queimando parte do corpo delas.

Os três foram levados pelos pais ao setor de queimaduras do Instituto Doutor José Frota (IJF), no Centro. Dois deles receberam alta ainda no começo da noite de ontem. “É muita dor ver essa situação, porque a gente é pai. Imagina deixar sua criança na escola, perguntar como foi o dia e receber essa notícia”, relatou o pai de uma das crianças liberadas, queimada no olho e no braço esquerdo.
 
Os dois meninos liberados ainda ontem receberam apenas atendimento imediato. O terceiro permaneceu internado no IJF, tendo recebido curativos nas queimaduras que atingiram a barriga, o tórax e as costas. Seu estado de saúde é estável e ele deve receber alta ainda nesta sexta-feira (26). 
 
Não teve aulas na escola durante nenhum turno desta sexta-feira, em detrimento da falta de energia causada pela explosão. Lá, funciona da Creche ao 5° Ano do Ensino Fundamental. Em 2017, eram, em média, 90 funcionários trabalhando na Instituição, e 515 estudantes. Segundo a mãe de um aluno, que não quis se identificar, todos ficaram surpresos. 
 
Secretaria diz acompanhar crianças e familiares
 
De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (SME), a Escola está acompanhando as crianças e familiares, mas o fato não ocorreu dentro do espaço. As imagens mostram, no entanto, que o equipamento pertence, de fato, à Instituição.
 
Na última quarta-feira (23), uma criança morreu após cair na fossa do Centro de Educação Infantil Laís de Souza Vieira Nobre. A SME destacou, sobre este caso, que foi formada uma sindicância para avaliar o caso e acompanhar as famílias envolvidas, além de uma comissão pericial técnica para investigar o acontecido, criada pela Prefeitura Municipal de Fortaleza. 
 
A Enel Distribuição Ceará informou que o problema foi causado por um curto-circuito no disjuntor da escola. "O equipamento não pertence à rede da Enel e sua manutenção é de responsabilidade do cliente", salientou a empresa.  
 
A Enel disse ainda que foi acionada devido à falta de energia na escola. Uma equipe foi enviada ao local e constatou a falha no equipamento, tomando todas as medidas necessárias para isolar o local e evitar novos acidentes. 
 
A distribuidora acrescentou também que o reparo do disjuntor cabe à escola.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.