Grávida é morta após ser baleada no condomínio onde morava, em Goiás


Denise foi morta com um tiro, na porta de casa; Aginaldo, marido dela, é supeito do crime (Foto: Arquivo pessoal)


Uma vendedora autônoma, grávida de 4 meses, foi morta após ser baleada na madrugada desta segunda-feira (4), no condomínio de casas onde morava, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi identificada como Denise Ferreira da Silva, de 34 anos. O filho dela, de 6 anos, teria presenciado o homicídio. A corporação informou que o marido da mulher, o motorista Aginaldo Viríssimo Coelho, de 50 anos, é suspeito do crime. Ele fugiu do local.

O crime foi cometido no Setor Orienteville. De acordo com a ocorrência, vizinhos acionaram a corporação informando que a mulher havia sido baleada.

O corpo da gestante foi encontrado na rua, perto da casa dela. Vizinhos afirmaram à polícia que o marido fugiu do local a pé após os disparos. Ele contaram também que as brigas entre o casal eram constantes e que o homem, inclusive, já responde a um processo por violência doméstica contra a mulher. No entanto, a Polícia Civil informou que não localizou nenhuma denúncia dela na Delegacia da Mulher (Deam).

A TV Anhanguera apurou que, apesar de ainda casados formalmente, eles se separaram há alguns meses. No entanto, o marido estava morando em uma outra casa que possui no mesmo condomínio.

De acordo com o perito Diogo Queiroz, foram efetuados dois tiros, mas somente um atingiu Denise, no pescoço. Pela cena encontrada, ele acredita que o suspeito arrombou a residência e que a mulher tentou fugir.

"Ela foi morta na rua. Tem sinais de arrombamento. Tudo indica que o autor teria arrombado o acesso, ocorrido uma discussão que fez com que ela corresse para a rua, onde o agressor veio em seu encalço. Ela acabou, de alguma forma, caindo ao solo, e ele desferiu dois tiros, sendo que somente um a acertou", informou à TV Anhanguera.

O delegado Dannilo Proto, da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) será o responsável por investigar o caso. No entanto, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, por hora, ele não vai se pronunciar sobre as diligências.

Vizinha avisou família em SP

Segundo a advogada Idivonete Ferreira Martins, tia de Denise, toda família dela vive em São Paulo. Ela, o ex-marido da vítima - pai do primeiro filho dela - e uma outra tia estão a caminho de Goiânia para fazer a liberação do corpo. O intuito é levá-lo para ser sepultado na capital paulista.

Segundo ela, após o crime, uma vizinha de Denise, conhecida da família, presenciou o homicídio e ligou informando do que havia ocorrido.

"Essa vizinha, que já é conhecida nossa, ligou para a mãe da Denise umas 3h da manhã e disse: ´O infeliz do marido da Denise acabou de arrombar a casa e matar ela.´ Eu então retornei e ela confirmou a história", disse.

Idivonete contou ainda que, após os disparos, outros vizinhos pegaram o garoto e o "esconderam" em uma das casas temendo que Aginaldo pudesse fazer algo também contra o enteado.

Fonte: G1

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.