Homem que matou a ex-sogra em Juazeiro e baleou o filho dela foi condenado a 13 anos de prisão

Na sessão ordinária desta quinta-feira do Tribunal do Júri de Juazeiro do Norte sentou no banco dos réus o corretor de seguros Willian Pinheiro Pereira, de 36 anos, que é conhecido como “Willian DPVAT”. Ele foi condenado a 13 anos de prisão por homicídio simples e lesão corporal. Na sentença do Juiz de Direito, Marcelo Wolney Alencar Pereira de Matos, é negado ao réu o direito de apelar em liberdade e seguirá preso o que ocorre desde o dia 5 de abril de 2017.
Pouco menos de um ano antes ou mais precisamente às 18 horas do dia 14 de maio de 2016, no Sítio Cachoeirinha na zona rural de Juazeiro, ele matou sua ex-sogra Maria de Fátima Rolim, de 45 anos, que era conhecida como “Branca”, e lesionou a tiros o filho dela Vicente Bento Júnior. No caso do rapaz o Conselho de Sentença desclassificou a imputação considerando ter ocorrido um crime de lesão corporal já que não existiu a intenção de matá-lo.
Com relação à mulher, a sentença considerou um crime premeditado já que Willian se dirigiu até à residência da vítima munido de arma de fogo matando-a por mera raiva da ex-sogra em virtude de ofensas que lhe foram dirigidas por ela. Após os crimes, o mesmo fugiu com sua pistola calibre 380 numa Toyota Hilux de cor preta e, na casa dele, no Sítio Amaro Coelho, policiais militares apreenderam uma escopeta calibre 12.
Dois dias depois e tendo livrado o flagrante, Willian se apresentou à Delegada de Defesa da Mulher, Déborah Gurgel dos Santos, a quem entregou a pistola e deixou nas entrelinhas do depoimento o fato de ter agido por violenta emoção. Ele disse que não mais suportava ser chamado de “ladrão”, estava de “cabeça quente” por conta das provocações, não tinha intenção de matá-la e quanto ao filho dela declarou ter sido um disparo acidental.
Na época, o réu estava separado de Joana Darc Rolim Monteiro Pinheiro, filha da vítima fatal, a qual confessou em depoimento sobre uma ameaça de morte anterior feito por ele contra sua mãe quando registrou um Boletim de Ocorrência. Em abril do ano passado, Willian ía embarcar na rodoviária de Juazeiro quando terminou surpreendido pela polícia cumprindo Mandado de Prisão Preventiva.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.