Salitre é intitulada capital da mandioca do Ceará


Em 2017, a produção de farinha em Salitre chegou a 40 mil sacas mensais, segundo a Secretaria de Agricultura do Município (Foto: Reprodução)

O município de Salitre se destaca na produção de mandioca e farinha. Com cerca de 150 casas de farinha em funcionamento, a produção chegou à média de 40 mil sacas mensais no ano de 2017, conforme levantamento apresentado pela Secretaria de Agricultura do Município. A estimativa aponta que cinco mil agricultores cultivam mandioca atualmente. Entre agricultores familiares e indústrias de maior porte, estima-se que haja 300 mil hectares plantados e sejam produzidos dez mil quilos de mandioca por hectare. Para este ano, a previsão é que a produção aumente entre 20% e 30%. Graças aos fatores positivos, por meio do Projeto de Lei nº 16.571 na Assembleia Legislativa, Salitre recebeu o reconhecimento de “Capital da Mandioca no Estado do Ceará”.

Conforme explicou Valquíria Oliveira, secretária de Agricultura no Município, historicamente, Salitre já tem uma boa produtividade de mandioca e, no decorrer dos últimos dez anos, com o melhoramento da espécie, vem sendo alavancada a cada dia mais. Apesar de o período de seca dos últimos anos ter comprometido a rentabilidade na produção, a cultura conseguiu se manter bem. Ao todo, de acordo com a Secretária, existem 148 estabelecimentos em funcionamento, com período de produção entre junho e setembro. “A gente divide Salitre em duas áreas: serra e sertão. Mesmo no Sertão, no decorrer desses anos, a cultura só vai aumentando”, informou.

José Otoniel, que possui casa de farinha em Salitre, diz que a cultura da mandioca e a produção de farinha são os principais responsáveis pela economia local. São cerca de dez mil sacas, com 50 kg cada uma, produzidas a cada semana. Apesar de a produção ser encaminhada para praticamente todo o Cariri, é a cidade de Fortaleza a principal consumidora do produto. “É uma forma que a gente gera emprego e tira essa imagem de município pobre, carente. Ao contrário. Aqui, a mandiocultura sempre gerou muito emprego e vem melhorando”, afirmou, ao dizer que crise não chegou até Salitre e que a qualidade de vida no local, somada a diferenciados setores, é boa e, com o reconhecimento de Capital da Mandioca no Estado do Ceará, tende a melhorar.

Entre as políticas públicas desenvolvidas no incentivo, o deputado estadual Agenor Ribeiro, autor do Projeto de Lei (nº 16.571, destaca ações de incentivo dentro da linha do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Família (Pronaf), parcerias com entidades como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas(Sebrae), modernização e regularização das casas de farinha e capacitações. Recentemente, uma empacotadora de farinha foi obtida pelo Município junto à Secretaria de Agricultura do Estado, que possibilita que ao invés de ser vendida a granel, a farinha seja vendida já empacotada.

Fonte: Jornal do Cariri
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.