Mulher e filho de médico encontrado esquartejado têm segundo habeas corpus negado


A esposa de Denirson Paes, Jussara Paes, está presa na Colônia Penal Feminina do Recife (Foto:Reprodução/Facebook)


O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) negou, na quarta-feira (26), o segundo pedido de soltura da mulher e do filho do médico Denirson Paes, de 54 anos, que teve o corpo encontrado esquartejado em um poço na casa onde morava com a família, no bairro de Aldeia, em Camaragibe, no Grande Recife. De acordo com o TJPE, a votação que indeferiu o habeas corpus foi unânime.

Jussara e Danilo estão presos desde o dia 5 de julho por homicídio e ocultação de cadáver. No dia 11 do mesmo mês, a defesa dos réus entrou com um primeiro pedido de habeas corpus, que também foi negado pela 2ª Câmara Criminal do TJPE.

Mãe e filho foram autuados após um mandado de busca e apreensão na residência da família. Em seguida, a polícia chegou a estipular uma fiança no valor de R$ 1,9 milhão para mãe e filho, mas a quantia não foi paga.

Após audiência de custódia, Jussara foi encaminhada para a Colônia Penal Feminina do Recife, no bairro da Iputinga, no Recife, e Danilo para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Lula (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana.

Entenda o caso

Parte do corpo do médico foi encontrado por volta das 14h do dia 4 de julho, por policiais e bombeiros, em um poço com aproximadamente 25 metros de profundidade, dentro do condomínio Torquato Castro, situado no quilômetro 13 da Estrada de Aldeia. O médico morava com a família em uma das casas do local.

O Instituto de Criminalística (IC) realizou perícias com luminol para colher DNA e outros materiais que podem subsidiar as investigações. Na casa da família, a perícia encontrou vestígios de sangue em três cômodos, que teriam sido higienizados após o crime.

As primeiras perícias realizadas no corpo do médico indicaram que, além de ter sido esquartejado, partes do corpo de Denirson também foram carbonizadas.

Na terça (10), a Polícia Civil divulgou que o resultado dos exames constatou que os primeiros restos mortais encontrados eram mesmo do cardiologista e novos restos mortais foram encontrados sob areia e metralhas, que foram retiradas de um espaço da própria casa, na área externa, utilizado para armazenar carvão e material de limpeza da piscina. Esse foi o terceiro dia de coletas e a polícia ainda não tinha encontrado todas as partes do corpo.

A cabeça e o tórax do médico foram encontrados no dia 12 de julho. Na data, a polícia civil informou que 90% do cadáver de Denirson Paes tinha sido encontrado e encerrou as buscas. O avançado estado de decomposição do corpo, no entanto, pode dificultar definição da causa da morte, segundo a polícia.

Fonte: G1 PB
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.