Grupo suspeito de ataques a instituições financeiras é preso após investigação


Foram apreendidos dois fuzis de calibre .50, grande quantidade de munições, emulsões explosivas e outros materiais (Foto: Reprodução)


Um grupo criminoso investigado por ataques contra instituições financeiras foi preso em posse de armas de fogo e munições de alto poder destrutivo, após uma investigação conduzida pela Polícia Civil do Ceará (PCCE) durante cerca de cinco meses. A detenção ocorreu no último dia 9, mas só foi divulgada nesta segunda-feira (13).

A ação ocorreu nos municípios de Aracati e Morada Nova. De acordo com as informações divulgadas em coletiva de imprensa nesta manhã, foram apreendidos dois fuzis de calibre .50, grande quantidade de munições, emulsões explosivas e outros materiais.

A organização criminosa vinha sendo investigada pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) por crimes cometidos contra agências bancárias e veículos de transporte de valores entre 2017 e 2018. Na madrugada do dia 9 de agosto, três suspeitos foram encontrados em uma residência, e posteriormente identificados como Antônio Carlos de Sousa, Erismar Mariz de Oliveira e Manuel Alves Abelardo. Os dois primeiros já tinham passagem pela polícia.

O trio foi preso e autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, associação criminosa e receptação. As investigações por parte da DRF continuam, com o objetivo de localizar outras armas de fogo, além de identificar e prender os demais envolvidos nos crimes.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.