Comércio e serviços devem abrir 4 mil vagas temporárias no Ceará


Sapatarias são as lojas que mais contratam neste ano, segundo o IDT. Isso ocorre pelo fato de esse segmento ter dificuldade em trabalhar com autoatendimento (Foto: Reprodução)


A proximidade do fim do ano e da alta estação amplia as oportunidades para quem está em busca do primeiro emprego ou procura se recolocar no mercado de trabalho. Em todo o Ceará, a seleção de empregados temporários já começou, e a expectativa do Sistema Nacional de Emprego/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (Sine/IDT) é que cerca de 4 mil vagas sejam geradas até janeiro de 2019. Segundo o gerente da unidade Centro do IDT em Fortaleza, Jidlafe Rodrigues, pelo menos duas mil vagas de emprego temporário serão ofertadas para o comércio de todo o Estado no período do fim do ano. Nos próximos meses, a disponibilidade de emprego para o setor de serviços também deve crescer, com a previsão de outras duas mil vagas. As estimativas superam a projeção divulgada, no início de setembro, pela Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem).

"Para o comércio, as vagas são, sobretudo para vendedor, com destaque para as sapatarias, cujas vendas crescem muito nessa época do ano. Essas lojas dependem muito do profissional de vendas, pois elas têm dificuldade em trabalhar com o autoatendimento", afirma Jidlafe Rodrigues, acrescentando que o número de contratados no período para o comércio deve crescer entre 10% e 15% em relação ao ano passado. Ele destaca que esse crescimento é resultado da maior confiança dos empresários neste ano. "Em 2017, nesta época do ano, as mesmas empresas (que estão ofertando vagas atualmente), ainda não sabiam quantas pessoas iam contratar. Agora, elas já têm uma estimativa, estão mais confiantes que no ano passado e esperam um fim de ano melhor em 2018", conta.

A projeção do IDT é reforçada pelos empresários do comércio. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), Cid Alves, acredita, inclusive, que o número de contratações temporárias no comércio pode superar as duas mil vagas previstas.

"Há cerca de 20 dias, o dólar disparou, a projeção de inflação subiu, e a Bolsa caiu. Por mais que muitas pessoas não tenham conhecimento sobre esses assuntos, houve uma proliferação de notícias negativas. Isso gerou um medo de comprar e, nos comerciantes, um receio de reforçar o estoque. Agora, o cenário macroeconômico mudou e há mais notícias positivas, o que contagia a população. Então, é possível que as contratações temporárias no comércio superem essas duas mil vagas previstas", analisa Alves.

Outro fator importante, segundo o gerente da unidade Centro do IDT, é que essas vagas, embora sejam para contratos temporários, são com carteira assinada e garantem aos trabalhadores todos os direitos previstos na legislação trabalhista.

Efetivação

O gerente do IDT, Jidlafe Rodrigues, destaca que o emprego temporário é uma boa oportunidade para obter experiência e conquistar uma colocação efetiva no mercado. "Cerca de 20% das pessoas contratadas de forma temporária acabam sendo efetivadas. Algumas são efetivadas imediatamente após o fim do contrato temporário. Outras pessoas acabam sendo chamadas em cerca de seis meses", diz.

Na avaliação do presidente do Sindilojas, também é "enorme" a chance de efetivação dos trabalhadores temporários. Para isso, o desempenho e as habilidades do profissional serão fundamentais. "O conhecimento tecnológico do profissional, em um cenário onde cada vez mais as pessoas utilizam aplicativos para comprar, e o domínio de outros idiomas são fatores preponderantes para a efetivação do trabalhador", destaca.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.