Delinquente mata taxista a facadas em assalto e acaba preso


(Foto: Richard Lopes)


Um latrocínio, roubo seguido de morte, ocorreu ontem por volta das 15h, em uma estrada carroçável do conjunto GH 1, distante cerca de 10 quilômetros da sede de Icó. O taxista José Batista Sobrinho, 77 anos, conhecido por Zé de Alice, que morava na rua Francisco Maciel, estava no terminal rodoviário quando foi fretado por um indivíduo para se deslocar até o GH 1.O frete era 50 reais e o taxista teria deixado por 40, mas não sabia que aquela seria a última viagem de sua vida.

No percurso, o falso passageiro sacou uma faca peixeira e desferiu vários golpes na vítima ainda dentro do carro. O taxista Zé de Alice tombou morto as margens da estrada carroçável da localidade em meio ao matagal. Os inspetores da delegacia de polícia civil Pedro Jorge, Ítalo e Magno, bem como policiais militares comandados pelo capitão Juarez de Sousa e policiais do Raio, coordenados pelo tenente Hoodson Ferreira estiveram no cenário do crime realizando os primeiros levantamentos de praxe. O criminoso fugiu no veiculo do taxista, um Fiat uno mille, de cor cinza, ano 2007-2008, de placa HXW 1453, licença de Icó.

A polícia iniciou diligências e de posse de informações chegou ao latrocida. Samuel De Souza Viriato, 19 anos, natural de Fortaleza, conhecido por Gago, residente no sítio Palmares. Gago foi surpreendido por militares em sua casa com uma bíblia sagrada nas mãos e com o carro da vítima estacionado, com manchas de sangue em seu interior. Samuel foi conduzido a delegacia regional de polícia civil de Icó e autuado em flagrante pelo delegado titular George Alexandre Irineu Segundo, por assalto seguido de morte. O táxi foi levado para a delegacia para ser periciado

O delegado George Alexandre disse que a intenção de GAGO era roubar o táxi e provocar a morte do taxista. Pelo crime hediondo, ele poderá pegar entre 20 a 30 anos de reclusão. Roupas utilizadas pelo delinquente, que já respondia a crime de receptação, foram apreendidas pelos inspetores Pedro Jorge, Magno e Ítalo ensanguentadas, bem como a faca usada no crime. Zé de Alice trabalhava a mais de 40 anos de taxista, era bastante conhecido, e sua morte deixou a população chocada e estarrecida. Samuel, o Gago, confessou o delito na delegacia com riqueza de detalhes e disse que estava arrependido. O corpo do taxista foi encaminhado de Icó para ser necropsiado no IML de Iguatu. Câmeras do videomonitoramento flagraram o taxista deixando o terminal rodoviário com o latrocida.

Com informações do correspondente Richard Lopes




Por Agência Miséria
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.