Lei proíbe debate sobre questões de gênero nas escolas de Juazeiro; saiba opiniões


(Foto: Ilustrativa)

Debater questões de gênero nas escolas de Juazeiro do Norte é proibido 
por lei desde o dia 7 de maio de 2018, data em que foi promulgada a lei 
de número 4.853, de autoria dos parlamentares Demontier Agra (PPL), 
Damian de Firmino (PRTB) e subscrição de Vieira Neto (Patriota), 
aprovada por unanimidade na Câmara.

O tema voltou à tona por conta da coleção de livros paradidáticos 
“Cultura de Paz”, adquiridos pela secretaria Municipal de Educação 
(Seduc) de Juazeiro do Norte. Os autores do documento afirmam que 
parte do material vai de encontro à lei e se trata de uma “cartilha de 
ideologia de gênero”.

O material “Cultura de Paz”, de acordo com a Seduc, tem como foco 
principal o respeito à diversidade em diversos pontos como religião, 
raça e sexualidade e o predominante combate ao preconceito.

A discussão sobre diversidade tratada no material “Cultura de Paz” 
é baseada na Constituição Federal, onde diz que se deve haver 
respeito e igualdade para todos. A Constituição serve ainda de 
referência para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) que 
fala sobre solidariedade e respeito ao ser humano.
Cartilha Cultura de Paz (Foto: Reprodução)


Casos como o acontecido na última terça-feira, dia 23, quando um 
estudante da Urca foi agredido, segundo ele, por ser homossexual e 
também votar no candidato do PT nas eleições presidenciais, levaram 
a discussão para as redes sociais.

Outro fato de destaque é o feminicídio na Região do Cariri. 
Como exemplo o caso ocorrido em fevereiro de 2001, em Brejo Santo, 
quando o comerciante Sebastião Pereira Leite, de 73, assassinou a 
esposa e depois os filhos. Nessa quarta, dia 24, foi o 
assassinato da mulher e mais 27 para cada um dos filhos.

O site Miséria procurou opiniões distintas sobre a temática. A favor da 
lei e contra o debate de gênero nas escolas quem escreveu foi o pastor, 
educador e comunicador Francisco Fabiano. A favor de debater sobre 
as questões de gênero e contra a lei, a Mestre em Filosofia Ética e 
Política e professora universitária Andrea Furtado.

Seguem abaixo os artigos
Favorável a lei e contrário ao debate



Contrário a lei e favorável ao debate



Por João Boaventura Neto
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.