Um dos foragidos da PIRC em Juazeiro já matou garota em Iguatu e rapaz em Jucás


Renan segue foragido e, dentre suas vítimas, matou Tainá em Iguatu e Giulian em Jucás (Foto: Reprodução/Redes Sociais)


Dentre os mais de 20 internos da Penitenciária Industrial e Regional do Cariri que fugiram no dia 19 de junho cinco ainda estão por serem capturados. Um deles é Renan de Souza Gomes Vidal, de 23 anos, residente em Iguatu. Ele responde vários procedimentos por homicídios, corrupção de menores, porte de arma de fogo, tráfico de drogas, associação para o tráfico e formação de quadrilha

Um dos homicídios ele praticou na madrugada do dia 27 de março de 2016 quando ele e um comparsa chegaram nas proximidades da festa denominada Marruá Folia em Iguatu e efetuaram vários disparos contra o jovem Jhony René Bezerra da Silva, de 22 anos. A garota Tainã Alves da Silva, de 29 anos, estava acompanhada da vítima e saiu lesionada no tórax quando morreu no Hospital Regional de Iguatu. Outra pessoa identificada por Daniel Lima Verde Maia, de 33 anos, foi atingida na coxa e escapou.

Jhony também escapou no hospital e, na época, a polícia informou que ele responde um homicídio, lesão corporal e porte ilegal de arma de fogo. Já no dia 3 de dezembro de 2016 ele matou a tiros Giulian de Souza Costa, de 24 anos, no município de Jucás. Além de Renan, participaram do crime outros comparsas dele identificados como Cleudiomar de Souza Campos, o “Cleudo”, Irislândio Pereira da Silva e “Gabriel”, cujo grupo fugiu em duas motocicletas.

Em Juazeiro do Norte, Renan foi preso no dia 22 de março de 2017 com outras quatro pessoas integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) numa casa na Rua Manoel Gouveia da Silva (Carité), onde a polícia encontrou poções de maconha e cocaína, sementes da “erva” e uma moto Yamaha YBR de cor vermelha roubada em Barbalha. Os outros foram identificados como Gabriel de Sales Cavalcante, Danilo da Silva Dias, Antonio Denilson Ferreira Lopes e o menor de iniciais J. R. M da S.

O grupo foi autuado em flagrante na 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Juazeiro para responder por crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, posse ilegal de munição de uso restrito e associação criminosa. Na época o Delegado Marcos Antonio dos Santos, disse que o quinteto era suspeito de envolvimento numa série de assaltos em Juazeiro, Crato e Barbalha.


Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.