Assaltante que cortou orelha da vítima e exibiu, foi baleado e morreu em Juazeiro


“Gil Olho de Gato” já tinha várias passagens pela polícia (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)


O paciente Gilvanio Leonardo de Lima, de 34 anos, o “Gil Olho de Gato”, morreu na manhã desta terça-feira num dos leitos do Hospital Regional do Cariri, onde estava internado a quase um mês. Ele tinha várias passagens pela polícia e, por volta das 21 horas do dia 29 de outubro, chegava em casa na Rua Rui Barbosa (Limoeiro) em Juazeiro quando foi lesionado com vários tiros. Inicialmente, foi socorrido por populares até à UPA Limoeiro e, depois, transferido ao HRC.

Trata-se do acusado de assalto que, no dia 16 de outubro de 2012 no cruzamento da Rua Rui Barbosa com a Avenida José Bezerra (Limoeiro), lesionou Nangelo Costa de Almeida, de 34 anos, com pauladas na cabeça. Depois, cortou a orelha da vítima e exibiu para as pessoas que estavam próximas as quais socorreram Nangelo ao Hospital Regional do Cariri a fim de ser submetido a uma cirurgia, enquanto Gil terminou preso.

Antes, no dia 1º de agosto de 2010, na Rua Rui Barbosa (Timbaúbas), ele agrediu sua mãe, Ester Leonarda, então com 62 anos, levando um botijão de gás e mais R$ 84,00 em dinheiro. Logo depois, vendeu o botijão à Jane Cleide Barbosa da Silva, de 18 anos, residente no Bairro Timbaúbas. A polícia prendeu o acusado e a receptadora respondeu um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência)..

Outra prisão dele foi na noite do dia 28 de agosto do ano passado quando uma garota de 25 anos, residente no centro de Barbalha, acionou a polícia informando sobre o furto do seu aparelho celular. Uma patrulha da PM diligenciou e prendeu “Gil” na Rua Ione Rodrigues quando seguia com o aparelho na direção da Feirinha da Troca, a fim de vendê-lo.

Este foi o sexto homicídio do mês de novembro em Juazeiro e o 87º do ano no município ou 61,7% em relação aos 141 assassinatos registrados no decorrer doano passado. O último deste ano também tinha várias passagens pela polícia por assaltos e morreu no HRC meses após ser espancado. Luiz Felipe da Conceição tinha 21 anos, morava na Rua Samuel Barbosa no bairro Antonio Vieira e respondia ainda por furtos, receptação e tráfico de drogas.




Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.