Feriadão da Semana Santa no Cariri teve cinco mortes violentas bem menos que o ano passado - Araripe News

Feriadão da Semana Santa no Cariri teve cinco mortes violentas bem menos que o ano passado


Corpo do Professor Renato, que morreu carbonizado em Juazeiro, só será liberado pela Perícia Forense após o exame de DNA (Foto: Arquivo pessoal)


Caiu de oito para cinco o número de mortes violentas entre os dois últimos finais de semana no Cariri, levando-se em consideração que este foi o feriadão da Semana Santana. Ou seja, bem menos que as 11 mortes registradas nesse feriadão em 2018 e as outras 11 no Carnaval deste ano, Em 2018 foram seis homicídios, três mortes em acidentes,, um afogamento e uma vítima de queda com quatro corpos de Juazeiro, dois de Barbalha e os demais de Missão Velha, Araripe, Mauriti, Porteiras e Nova Olinda.

Já este ano tivemos dois casos de quedas, um homicídio, uma vítima fatal em acidente de trânsito e um cadáver carbonizado. Foram três corpos de Juazeiro e os demais de Brejo Santo e Crato. Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, uma morte aconteceu ainda na quinta-feira, mais duas na sexta-feira, outra no sábado e mais uma neste domingo.

Por volta das 18 horas de quinta-feira, na Rua Francisco Martins de Souza (Frei Damião) em Juazeiro, o cabeleireiro José Lucas Melo Ribeiro, de 30 anos, foi morto com um tiro. Ele morava na Rua Beata Maria de Araújo (João Cabral) e pilotava sua moto, mas ainda não se sabe se a bala partiu de bandidos numa suposta tentativa de assalto ou policiais em perseguição. Ele não tinha passagens pela polícia, todo dia almoçava com o pai no bairro Frei Damião e retornava para sua casa no João Cabral.

Já às 6 horas da manhã de sexta-feira morreu num dos leitos do Hospital Regional do Cariri o jovem Francisco Cleberson Tiburtino da Silva, de 23 anos, que residia no Sítio Bezerro na zona rural de Brejo Santo. Ele se envolveu num acidente com moto e foi socorrido ao HRC, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos. Inclusive, a equipe médica já tinha diagnosticado sua morte cerebral quando a família autorizou a doação dos órgãos os quais foram captados no HRC.

Cerca de quatro horas depois morreu a aposentada Maria Marlene Albuquerque Almeida, de 80 anos. Ela sofreu uma queda em sua casa na Rua Maria Tavares Noca (Frei Damião) em Juazeiro causando a fratura do fêmur. A mesma ainda chegou a ser socorrida ao HRC, mas não resistiu e foi encaminhada ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) da Faculdade de Medicina de Barbalha. Posteriormente à Perícia Forense, onde o corpo foi necropsiado.

Às três horas da madrugada de sábado a casa do professor de inglês da rede municipal de ensino, Renato Pereira Laurindo, de 32 anos, na Rua José Vicente de Lima, (Jardim Gonzaga) em Juazeiro, pegou fogo e ele morreu carbonizado. O mesmo morava só e vizinhos notaram a fumaça e o fogo quando acionaram o Corpo de Bombeiros e os militares debelaram as chamas. O teto da sala, do quarto e banheiro desabaram e o cadáver da vítima foi encontrado no seu quarto. A causa do incêndio vai ser averiguada, mas existem suspeitas de um possível curto circuito na rede elétrica.

Por volta das 21h30min deste domingo um homem morreu em conseqüência de queda quando sofreu uma forte pancada na cabeça. O corpo estava num banco onde deve ter deitado após cair e foi recolhido pelo rabecão na Avenida José Alves de Figueiredo no centro de Crato após ser encontrado por populares. Provavelmente, seja morador de rua e segue sem identificação na Perícia Forense de Juazeiro. Uma ambulância do SAMU esteve no local, mas os profissionais de saúde apenas constataram o óbito.




Por Demontier Tenório
Miséria.com.br

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.